Comunicado de imprensa

É official, o julgamento do assassinato do presidente Thomas Sankara e de seus companheiros começará no dia 11 de outubro 2021.

Após anos de luta por parte das famílias das vítimas, seus advogados, o povo burquinense cuja insurreição de 2014 foi determinante para a abertura do inquérito, e também de movimentos cívicos internacionais como nossa rede, a iniciação desse processo representa uma grande vitória: os organizadores burquinenses desses assassinatos finalmente serão julgados.

Porém, queremos manifestar a nossa reprovação face às tentativas das autoridades burquinenses de negociar com o ex-presidente a sua volta. Esse está sujeito a um mandado de detenção internacional e a Costa do Marfim precisa extraditá-lo sem condições.

Da mesma forma, lamentamos o fato da investigação sobre a conspiração internacional não ter sido levada a cabo, por falta de uma franca colaboração entre as autoridades dos paises cuja participação é suspeitada [1].

Às autoridades francêsas, reiteramos o nosso pedido de que seja respeitada a promessa de Emmanuel Macron de trazer à justiça burquinense TODOS os documentos classificados “segredo de defesa”, em relação ao assassinato de Thomas Sankara e de seus companheiros.

Até agora, parece que as autoridades dos Estados-Unidos ainda não colaboraram com a justiça burquinense. Lhes exortamos a iniciar essa colaboração. De fato, vários testemunhas, incluindo Liberianos, afirmam ter tido contatos com alguns serviços secretos estadunidenses.[2]

Por ultimo, pedimos às autoridades da Costa do Marfim, do Libéria, do Mali e do Togo que forneçam todos os documentos susceptiveis de ajudar a investigar o papel desses diversos países. Também pedimos aos defensores dos direitos humanos que se esforçam para conseguir a colaboração de seus governos com a justiça burquinense.

Apenas uma parte do caminho rumo à verdade jà foi percorrida. Por isso apelamos todas as pessoas e estruturas a continuar a mobilização em seus respectivos paises.

No dia 20 de agosto de 2021,

em Ouagadougou, Bobo Dioulasso, Dakar, Bamako, Paris, Barcelone, Las Palmas, Ottawa, Turin, Albany (USA), Munich, Marseille, Montpellier, Nîmes, Toulouse, Grenoble, Sabadell (Catalogne),

pela rede internacional Justice pour Sankara, Justice pour l’Afrique.

Contato : [email protected]

Tradução: Martin Frager Perrier

[1] Por exemplo, a presência de francêses que vieram confiscar registros telefônicos, para eliminar as evidências do envolvimento de Blaise Compaoré et Jean-Pierre Palm, é atestada não por documentos fornecidos pelas autoridades francêsas mas sim por testemunhas de soldados burquinenses.

[2] RAI Ombre Africane (2009) de Silvestro Montanaro Italie, RAI3, 15 juillet 2009

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.