A Rede Internacional « Justiça para Sankara Justiça para África” pediu à França para desvendar o segredo-defesa sobre o caso Thomas Sankara, ex-Presidente do Burkina Faso, assassinado em 1987.

Postado em 15 de novembro de 2016 no jornal diário O Pais (Angola)

Segundo o colectivo, após dois anos de inquérito, um juiz burkinabe, François Yaméogo, ouviu uma centena de pessoas e inculpou quase 10 no quadro deste caso.
“A seriedade e a sua integridade não podem ser postas em dúvida”, afirma o colectivo, acrescentando que este pedido não deve ser subestimado, como o pedido de inquérito
parlamentar, formulado por vários deputados burkinabes
e depositado por deputados ecologistas e pelos da Frente da Esquerda na Assembleia Nacional em Outubro de 2012.
Organizações francesas e estrangeiras, organizações dos direitos humanos, partidos políticos e associações da sociedade, preocupadas com a justiça, são chamados a pressionar o Governo francês para que este responda
ao pedido do juiz burkinabe.
“Nós pedimos aos deputados da Assembleia Nacional para interpelarem o novo presidente do Parlamento para que ele reconsidere a sua posição e aceite o pedido de inquérito parlamentar sobre o assassinato de Thomas Sankara, como já o fizeram mais de cinco mil e 500 pessoas”, escreve o colectivo.
O capitão Thomas Sankara e 12 dos seus companheiros foram mortos num golpe de Estado perpetrado em Outubro de 1987 e que colocou no poder Blaise Compaoré, um seu irmão de armas, tendo este último, por sua vez, sido destituído por uma revolta popular a 31 de Outubro de 2014.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.